Devemos pedir cartas psicografadas aos médiuns?

10:51 Meu Livro Espírita 0 Comments


Disse bem Chico Xavier que "o telefone toca de lá para cá". Para imaginar por que um espírito gostaria de se comunicar, basta pensar em si mesmo desencarnado, deixando seu filho ou alguém que importe, aqui... teria certeza de simplesmente desejar partir abandonando a todos? E por que Deus impediria a comunicação que Ele mesmo favoreceu com um dom orgânico, se o amor é laço que Ele privilegia?

Nós podemos pedir que um espírito se comunique, mas ele só o faz se quiser. Nós, espíritas, não evocamos os mortos para nossa satisfação, damos oportunidade de manifestação com respeito fraternal e aprendemos com os vivos em espírito que se manifestam por que assim o desejam e com os quais aprendemos sobre a vida após a morte e sobre a vida antes da morte, no que resultará.

Vale ressaltar que é um grande equívoco comparar a necromancia com o Espiritismo. Necromancia é a adivinhação por meio da evocação dos espíritos. O espírita nunca usa os espíritos para fazer adivinhações. Quem faz isso não tem senão interesse próprio e financeiro de usar espíritos inferiores (pois os bons não se submetem a interesses mesquinhos), para, em troca da própria paz após a morte, ter lucros em vida. Pobres daqueles que violam o "dai de graça o que de graça recebeu" (Jesus).


A mediunidade é um dom que serve de instrumento útil para o despertamento humano e não viola em tempo algum o que ensinou Jesus. Convidamos os amigos ao raciocínio lógico, um cristão segue o Cristo e não Moisés, que foi seu precursor. E ainda que se diga que é atual e necessária a proibição do uso da mediunidade porque foi dada como lei divina por Moisés e por isso não se pode abster de cumpri-la, porque não se cumpre tudo o que em levíticos e deuteronômio se diz? Precisamos amadurecer, amigos, ainda nos limitamos demais por não sermos capazes de ir além dos limites de outrora, que foram bons por certo, mas hoje são atraso de vida.

Comente com o Facebook: