Projeto de Arquitetura e Espiritismo recebe prêmio internacional

07:01 Meu Livro Espírita 0 Comments



A revista norte-americana Faith & Form e o Fórum Inter-religioso sobre Religião, Arte e Arquitetura (IFRAA) premiaram 28 projetos de arquitetura religiosa no ano de 2016, classificados em 10 categorias. Dentre estes, na categoria Trabalho Estudantil, encontra-se a única proposta brasileira premiada, o trabalho final de graduação da aluna Rafaela Paes de Andrade Arcoverde, intitulado Cidade dos Espíritos: uma aproximação entre espiritismo e arquitetura, desenvolvido na Universidade Católica de Pernambuco, sob orientação dos professores Ana Luisa Oliveira Rolim e Robson Canuto da Silva.


Cidade dos Espíritos: uma aproximação entre espiritismo e arquitetura

A proposta é motivada por dois aspectos centrais. Primeiro, a necessidade de adequar as dependências da Federação Espírita Pernambucana (FEP) ao crescente público frequentador, e, segundo, pela possibilidade de uma especulação projetual com base na relação entre o artefato arquitetônico e o divino.


Para responder ao objetivo de transpor a atmosfera divina a um edifício-templo, buscou-se fundamentação na fenomenologia que, quando voltada para a Arquitetura, estuda a relação da experiência humana com o espaço, de forma a definir uma atmosfera, a essência do lugar. A luz parece reforçar essa experiência, pois, segundo Pallasmaa (2011), quando desfocamos a visão, percebemos apenas luz e sombra, o que deixa a mente livre para a reflexão, aguçando os outros sentidos. Procurou-se, então, trabalhar a materialidade inerente à arquitetura com a imaterialidade do Espiritismo.


A proposta foi escolhida por um corpo de jurados composto por David Roccosalva, Vernon Mays, Albert Lindeke, Kristen Richardson-Frick e Julio Bermudez, entre os dias 13 e 14 de julho, que se reuniram em Charlotte, Carolina do Norte, EUA, e classificaram o trabalho sob este argumento:

Este projeto de estudante é altamente provocativo e imaginativo, investigando novas formas de espiritualidade, usando linguagem contemporânea. Possui um toque surrealista em suas qualidades experienciais. Foi desenvolvido em planta e corte, e as imagens convêm os potenciais emocionais do projeto. O prêmio reconhece a importância de se testar um novo território para o espaço sagrado (tradução nossa do parecer original [1])




Retirado do site ArchDaily.
Clique aqui para acessa o conteúdo original.

Comente com o Facebook: