Chico Xavier será homenageado em Uberaba

08:26 Meu Livro Espírita 0 Comments


Na próxima sexta-feira (30), o Memorial Chico Xavier, em Uberaba, terá uma programação especial alusiva aos 15 anos de morte do médium. O evento, organizado pela Fundação Cultural (FCU), começa às 9h e será aberto ao público. Haverá concerto da Orquestra Municipal e também declamação teatral de frases e ensinamentos de Chico.

Os visitantes também vão poder conferir a exposição fixa “Chico Xavier – Memória e Amor”, que traz a trajetória de vida do líder espírita, composta por objetos, fotografias, informações e uma holografia com imagem e mensagem de Chico.

A mostra também conta com exposição de fotos do médium registradas pelo repórter fotográfico Paulo Nogueira, além de documentos, a mesa e a cadeira onde Chico realizou as primeiras psicografias, emprestadas pela Comunhão Espírita Cristã de Uberaba.


Segundo o museólogo da FCU, Carlos Vitor Silveira de Souza, a programação celebrará, também, os 90 anos de mediunidade de Chico Xavier. “Em 1927 ele começou a participar de reuniões mediúnicas quando a irmã dele, Maria Xavier, ficou doente por uma suposta obsessão.


Este foi o primeiro contato com o espiritismo e naquele ano ajudou a fundar o Centro Espírita Luiz Gonzaga, o primeiro de Pedro Leopoldo. Foi nesse local que Chico passou a conhecer e estudar as obras de Allan Kardec, e fez a primeira psicografia”, contou Carlos.


Com 450 livros publicados e cerca de dez mil cartas psicografadas, Francisco Cândido Xavier nasceu em 1910 na cidade de Pedro Leopoldo, e morreu em 2002, aos 92 anos, em Uberaba, devido a uma parada cardíaca. O dia de seu falecimento, que gerou grande tristeza e comoção nacional, também foi o dia em que o Brasil comemorava o título de pentacampeão na Copa do Mundo de futebol.


O Memorial Chico Xavier, localizado na Avenida João XXIII, nº 2011, Bairro Parque das Américas, está aberto para visitação de terça a domingo, sempre das 13h às 18h.

Via G1

12 fatos sobre a influência dos espíritos em nós

15:11 Meu Livro Espírita 0 Comments


Muitas pessoas nos perguntam, com frequência, sobre como funciona a influência dos espíritos em nossas vidas, incluindo as obsessões. Pensando nisso, trazemos abaixo 12 perguntas e respostas retiradas de O Livro dos Espíritos, obra referência para estudo da doutrina espírita.

Confira:

1. Vêem os Espíritos tudo o que fazemos? 

“Podem ver, pois que constantemente vos rodeiam. Cada um, porém, só vê aquilo a que dá atenção. Não se ocupam com o que lhes é indiferente.”


2. Podem os Espíritos conhecer os nossos mais secretos pensamentos? 

“Muitas vezes chegam a conhecer o que desejaríeis ocultar de vós mesmos. Nem atos, nem pensamentos se lhes podem dissimular.” 

a) - Assim, mais fácil nos seria ocultar de uma pessoa viva qualquer coisa, do que a esconder dessa mesma pessoa depois de morta? 

“Certamente. Quando vos julgais muito ocultos, é comum terdes ao vosso lado uma multidão de Espíritos que vos observam.”

3. Com que fim os Espíritos imperfeitos nos induzem ao mal? 


“Para que sofrais como eles sofrem.” 

a) - E isso lhes diminui os sofrimentos? 

“Não; mas fazem-no por inveja, por não poderem suportar que haja seres felizes.” 

b) - De que natureza é o sofrimento que procuram infligir aos outros? “Os que resultam de ser de ordem inferior a criatura e de estar afastada de Deus.”


4. Que pensam de nós os Espíritos que nos cercam e observam? 

“Depende. Os levianos riem das pequenas partidas que vos pregam e zombam das vossas impaciências. Os Espíritos sérios se condoem dos vossos reveses e procuram ajudar-vos.” Influência oculta dos Espíritos em nossos pensamentos e atos."


5. Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos? 

“Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.


6. As fórmulas de exorcismo têm qualquer eficácia sobre os maus Espíritos?

“Não. Estes últimos riem e se obstinam, quando vêem alguém tomar isso a sério.”


7. A prece é meio eficiente para a cura da obsessão? 

“A prece é em tudo um poderoso auxílio. Mas, crede que não basta que alguém murmure algumas palavras, para que obtenha o que deseja. Deus assiste os que obram, não os que se limitam a pedir. É, pois, indispensável que o obsidiado faça, por sua parte, o que se torne necessário para destruir em si mesmo a causa da atração dos maus Espíritos.”


8. Que se deve pensar da expulsão dos demônios, mencionada no Evangelho? 

“Depende da interpretação que se lhe dê. Se chamais demônio ao mau Espírito que subjugue um indivíduo, desde que se lhe destrua a influência, ele terá sido verdadeiramente expulso. Se ao demônio atribuirdes a causa de uma enfermidade, quando a houverdes curado direis com acerto que expulsastes o demônio. Uma coisa pode ser verdadeira ou falsa, conforme o sentido que empresteis às palavras. As maiores verdades estão sujeitas a parecer absurdos, uma vez que se atenda apenas à forma, ou que se considere como realidade a alegoria. Compreendei bem isto e não o esqueçais nunca, pois que se presta a uma aplicação geral.”

9. Por que meio podemos neutralizar a influência dos maus Espíritos? 


“Praticando o bem e pondo em Deus toda a vossa confiança, repelireis a influência dos Espíritos inferiores e aniquilareis o império que desejam ter sobre vós. Guardai-vos de atender às sugestões dos Espíritos que vos suscitam maus pensamentos, que sopram a discórdia entre vós outros e que vos insuflam as paixões más. Desconfiai especialmente dos que vos exaltam o orgulho, pois que esses vos assaltam pelo lado fraco. Essa a razão por que Jesus, na oração dominical, vos ensinou a dizer: “Senhor! Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal.”

10. Há Espíritos que se liguem particularmente a um indivíduo para protegê-lo? 

“Há o irmão espiritual, o que chamais o bom Espírito ou o bom gênio.”

11. Que se deve entender por anjo de guarda ou anjo guardião? 

“O Espírito protetor, pertencente a uma ordem elevada.”

12. Qual a missão do Espírito protetor? 

“A de um pai com relação aos filhos; a de guiar o seu protegido pela senda do bem, auxiliá-lo com seus conselhos, consolá-lo nas suas aflições, levantar-lhe o ânimo nas provas da vida.”

Congresso espírita terá transmissão ao vivo

07:24 Meu Livro Espírita 0 Comments


Realizado a cada quatro anos, o Congresso Espírita de Mato Grosso que acontece de 17 a 20 de agosto, em Cuiabá, no Hotel Fazenda Mato Grosso, traz como conferencistas, para essa sexta edição, 11 facilitadores espíritas de renome nacional para que, através de suas conferências, fomentem reflexões inerentes à busca do ser enquanto espírito imortal a partir do tema do congresso, Amai-vos e Instruí-vos. O evento, que está sendo preparado para receber presencialmente duas mil pessoas, será transmitido ao vivo pelo site da Federação Espírita do Estado e pelo canal Febtv.

Presidente da Federação Espírita de Mato Grosso (Feemt), Lacordaire Faiad explica que todos os conteúdos que serão apresentados pelos conferencistas deverão convergir para o resgate reflexivo do pensamento que Allan Kardec, o codificador da doutrina espírita, buscou em Jesus. “Porque Jesus fazia esse exercício reflexivo em todas as suas conversas, levando aqueles que se acercavam dele a um processo de reflexão de si para consigo e de si para com a vida”, comenta Lacordaire, que também será um dos palestrantes do evento.

Na esteira desse raciocínio acrescenta que o reviver do evangelho de Jesus em espírito e verdade é a proposta e a responsabilidade da doutrina espírita. Por isso, a escolha do tema amai-vos e instruí-vos como fio condutor do congresso. Pontua que essa foi uma das orientações espirituais ditadas por Jesus, enquanto Espírito de Verdade, codificada por Allan Kardec, em 1861, e que consta do livro O Evangelho Segundo o Espiritismo.


“Ao nos convidar ao amor e à instrução, Jesus nos leva a pensar não somente na educação formal e cognitiva, mas na educação do nosso ser. Talvez hoje dissesse: espíritas, amai-vos e educai-vos. Entendemos que é a educação dos sentimentos e das emoções que acontece através da autoconscientização do amor às leis divinas e dos nossos esforços íntimos para desenvolver as virtudes essenciais”.

Sobre o que chama de brisa reflexiva, Lacordaire acredita que ela esteja chegando a várias áreas do conhecimento. E chama a atenção para esse importante exercício de autoconhecimento. “Por exemplo, nós espíritas, quantas vezes sabemos as perguntas e as respostas contidas no Livro dos Espíritos ou os capítulos do Evangelho Segundo o Espiritismo, mas temos alguma dificuldade em entender, em refletir mais profundamente esses conteúdos para nossas vidas”.

Serão quase 20 horas de reflexão compartilhadas pelos facilitadores convidados, além das apresentações artísticas capitaneadas pelo Grupo Juventude Ativa, formado por jovens de várias casas espíritas adesas à Federação. E conforme Saulo Gouveia, vice-presidente administrativo da Feemt, o evento também guarda em seu bojo o objetivo de oportunizar o convívio fraterno entre os congressistas.

Para isso, já há alguns meses, 50 voluntários trabalham na preparação do evento em diversas áreas e durante os quatro dias de congresso, esse número chegará a 150 tarefeiros que deverão estar qualificados não só para acolher os participantes como também para dar fluidez às demandas pontuais na ocasião.

“Queremos que o evento se torne, a cada edição, mais fraterno, mais afetivo e mais acolhedor”, diz Saulo, ao justificar a preparação prévia com envolvimento de tantas pessoas. “Queremos oportunizar aos congressistas, além dos conteúdos oferecidos à luz da doutrina espírita, a real possibilidade da convivência fraterna”.

Palestras e palestrantes

Entre os temas que serão abordados estão, Como desenvolver o amor nas relações familiares (Alberto Almeida), O amor e a superação do sentimento de indiferença (Jorge Godinho), Como desenvolver o amor aos que nos perseguem e caluniam (Gabriel Salum), Como desenvolver o amor a si mesmo (Sandra Borba), O espírita e a liderança amorosa (Saulo Gouveia), O amor e a superação do sentimento de vitimização (Lacordaire Faiad), O amor e a superação das influências espirituais obsessivas (Suely Caldas), O amor e o cumprimento do propósito existencial (Afro Stefanini II), O meio prático para conhecer, compreender, amar e cumprir as leis divinas na consciência (Haroldo Dutra), O amor e a missão do espírito imortal (Alírio de Cerqueira Filho) e Como desenvolver o amor a Deus de todo coração, alma e entendimento (Geraldo Campetti). O médium Raul Teixeira é o convidado especial desta edição.

Serviço

As inscrições para o 6º Congresso Espírita de Mato Grosso poderão ser feitas através do site www.feemt.org.br, em que também são encontradas outras informações sobre o congresso, como valores, palestrantes e a programação completa. Ou pelo telefone (65) 3644 2727. Para entrar em contato com a equipe de comunicação da Feemt : comunicação@feemt.org.br .

Transmissão ao vivo: www.feemt.org.br/aovivo e www.febtv.com.br (Canal 3)

Filho de Chico Xavier fala sobre a morte do ator Nelson Xavier

08:02 Meu Livro Espírita 0 Comments


Após a morte do ator Nelson Xavier em Uberlândia, o filho do médium Chico Xavier, Eurípedes Higino, comentou a relação do ator com a família durante algumas gravações de “Chico Xavier – O Filme” feitas na Casa de Memórias e Lembranças, em 2009, em Uberaba. Segundo Eurípedes, Nelson declarava-se ser ateu na época, mas tudo mudou depois que ele conheceu a história do líder espírita.

Eurípedes Higino lembra que ator se dizia ateu e que doou roupas para ele na época das filmagens. 'Recebi a notícia com muita tristeza', ressaltou o filho do médium.

“Ele dizia que a vida do Chico mudou os costumes e a maneira de pensar dele, que a vida de Chico o transformou em um novo homem, sensível, capaz de pensar que sempre existiu uma força maior: Deus. É um certo conforto por saber que antes de morrer ele conseguiu encontrar a espiritualidade”, disse ao site G1.


Eurípedes também contou que brincava com Nelson sobre como seria o encontro entre ele o pai após a morte. “Eu dizia: 'como vai ser a hora que você encontrar com o verdadeiro Chico Xavier ?’. Hoje, eu acredito que Chico vai abraçá-lo e vai agradecer Nelson por ele passar para o mundo aquilo que o Chico sempre passou: paz, harmonia, tranquilidade e esperança de um Brasil melhor”, acrescentou.

Nelson e a equipe visitaram a Casa de Memórias e Lembranças de Chico Xavier, no Bairro Parque das Américas, várias vezes antes das gravações para conhecerem o espaço, os costumes do Chico e ver como seriam os figurinos. Por conta do interesse de Nelson em viver o personagem, Eurípedes fez uma decisão que, depois, o deixou honrado e feliz.

Eles trouxeram figurinista para fazer roupas iguais as do Chico. Mas no segundo dia, quando vi a sensibilidade dele e do ator Ângelo Antônio, eu dei algumas peças do meu pai para eles usarem nas gravações – como camisa, terno, meia e boina e óculos. Vi que antes de profissionais, eu senti que eles sentiram de coração e alma o papel que iriam fazer”, contou.


O preconceito contra o Espiritismo

08:22 Meu Livro Espírita 0 Comments


Ainda existe, em maior escala do que se pensa, o medo do Espiritismo. Há pouco, fomos procurados por uma pessoa que, sentindo evidentes perturbações de origem mediúnica, e tendo percorrido os consultórios de psiquiatria, vira-se obrigada a recorrer aos “recursos espirituais”, segundo dizia. Quando soube que não estava tratando com um “espiritualista”, mas com um espírita, assustou-se de tal maneira, que viu-se forçada a confessar o seu medo. “Se eu soubesse que o senhor era espírita - declarou - não o teria procurado.”

A verdade é que, apesar disso, acabou se convencendo de que o Espiritismo poderia ajudá-la, e mais tarde tornou-se espírita. Mas não foi muito fácil arrancar-lhe da mente o pavor doentio que lhe haviam infundido. Sacerdotes, pessoas da família, amigos e médicos, todos haviam contribuído para que o medo se enraizasse em sua alma. Terrível medo, que a desviava da única solução possível para o seu problema.


E o que é mais curioso, a maior contribuição para esse estado de temor foi dado por certas publicações espiritualistas, que apesar de admitirem a reencarnação e a lei de causa e efeito, condenam a mediunidade, pintando-a com as mais negras pinceladas.

O preconceito anti-espírita assemelha-se muito à prevenção contra o Cristianismo, no mundo antigo. As pessoas que temem o Espiritismo não conhecem a doutrina, dão ao termo aplicações indevidas, perdem-se num cipoal de lendas e suposições a respeito das sessões espíritas. Em geral nos acusam de endemoniados, necromantes, feiticeiros e coisas do mesmo teor, como faziam gregos e romanos com os cristãos primitivos. E essas deturpações do Espiritismo não são apenas orais, correndo entre pessoas simples. Figuram também em publicações eruditas, revistas, jornais, livros de ensaios e estudos, com signatários cultos.

Pitágoras já dizia que a Terra é a morada da opinião. E como a opinião é a coisa mais frívola que existe, a mais incerta e a mais irresponsável, não é de admirar que tanta gente opine sobre o que não conhece. Mesmo entre os letrados, a opinião é um hábito enraizado. Mas é evidente que, quando se trata de uma doutrina espiritual, esposada por tantos homens de projeção no mundo das ciências e do pensamento, em todo o mundo, as pessoas de cultura, ou mesmo de mediana cultura, deviam ter mais cautela ao se manifestarem a respeito. Porque se é livre o direito de opinar, não é menos livre o direito de se julgar o senso de responsabilidade de quem opina.


O maior motivo de temer do Espiritismo é o próprio temor. Ou seja: é a covardia humana, essa terrível covardia que faz os homens estremecerem de horror diante do perigo de mudarem de posição diante da vida e do mundo. O Espiritismo, entretanto, não exige outra mudança, senão a da concepção estreita de uma vida utilitarista e falsa, para a ampla concepção de uma vida espiritual, profunda e verdadeira.

Quanto ao problema das relações com o mundo invisível, o Espiritismo não estabelece essas ligações, que existem na vida de todas as criaturas, mas apenas as explica e orienta, dando-lhes o verdadeiro sentido no processo da existência.

Temer o Espiritismo é temer a verdade, que os seus princípios nos revelam, apesar de todos os que lutam para deturpá-los.

Do livro “O Homem Novo” - Herculano Pires

* * *
De todas as forças que oprimem o Espiritismo, a que mais o tem prejudicado é a “força do preconceito”. (...) A força do preconceito, para muitos, tem mais poder que a verdade. É este um dos motivos que impede a marcha ascensional do Espiritismo entre nós. (Cairbar Schutel, no livro “Os Fatos Espíritas e as Forças X” - 1926