Os 2 tipos de famílias segundo o espiritismo


Você já sentiu-se desconectado da sua família?

Para entender o motivo desse sentimento, é necessário compreender os dois tipos de famílias: as famílias por laços espirituais e as famílias por laços corporais.

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec nos esclarece que os laços de sangue não estabelecem necessariamente os laços espirituais. O corpo procede do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito, porque este existia antes da formação do corpo.

Os pais não geram o Espírito do filho: fornecem-lhe apenas o envoltório corporal. Mas devem ajudar seu desenvolvimento intelectual e moral, para o fazer progredir.



Os Espíritos que se encarnam numa mesma família, sobretudo como parentes próximos, são os mais freqüentemente Espíritos simpáticos, ligados por relações anteriores, que se traduzem pela afeição durante a vida terrena. Mas pode ainda acontecer que esses Espíritos sejam completamente estranhos uns para os outros, separados por antipatias igualmente anteriores, que se traduzem também por seu antagonismo na Terra, a fim de lhes servir de prova.

Os verdadeiros laços de família não são, portanto, os da consangüinidade, mas os da simpatia e da comunhão de pensamentos, que unem os Espíritos, antes, durante e após a encarnação. Donde se segue que dois seres nascidos de pais diferentes podem ser mais irmãos pelo Espírito, do que se o fossem pelo sangue. Podem, pois, atrair-se, procurar-se, tornarem-se amigos, enquanto dois irmãos consangüíneos podem repelir-se, como vemos todos os dias. Problema moral, que só o Espiritismo podia resolver, pela pluralidade das existências. (Ver cap. IV, nº 13)

Gostou? Comente abaixo a sua relação com a sua família.


Um comentário:

  1. Eu ando me sentindo desconectada tanto da família espiritual como da sanguinea. vivo em total solidão já tive depressão profunda e síndrome do panico infeslimente não tenho recursos mas gostaria de receber alguns livros como violeta na janela e tem um gratuito no google psicografia de Maria Helena Lapena o Livro é lindo e ainda não foi editado por falta de recursos... "Fala Miguel" eu recomendo

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.